SER GAY VIROU ‘MODINHA’?

Gay-Pride

Moda (mo-da): s.f. Uso passageiro que rege, de acordo com o gosto do momento, a maneira de viver, de vestir etc.

POIS BEM pessoas, vou tentar não entrar no mérito de discutir se Homossexualidade é de nascença ou não. O que mais me interessa nesse caso é desmentir alguma baboseiras que ando ouvindo e lendo por aí…
A parada LGBTT reuniu aproximadamente 12 mil em Campinas-SP na tarde de ontem (domingo, 21/09) onde vários temas foram abordados, com ênfase no tema “um Brasil campeão é um Brasil sem preconceitos”.
Certo dia, num post onde tinham três casais se beijando (hétero, gay e lésbico) e uma mensagem escrita “amor, sem terror” eu resolvi ler os comentários e cada vez que eu rolava o mouse para baixo, via uma coisa mais esdrúxula que a outra. Entretanto nenhuma me chamou mais a atenção do que uma frase escrita por um infeliz, era a seguinte: “é ditadura mesmo! virou modinha ser viado, antes não tinhas essas porra!”.
Primeiramente penso eu que essa pessoa, se tem o mínimo de ‘cimancol’ se arrependeu do que postou, mas deixando o “depois” de lado, o “antes” do infeliz postar a frase deve ser levado em conta. Afinal, virou “modinha” ser gay?
Pense em dois estilos de vida:
– Em um você é amado por seus pais, na sua escola te respeitam, você não tem problemas para arranjar um emprego e você pode caminhar suavemente nas ruas;
– você é esculachado na sua família e escola, não te respeitam, sua religião diz que você é uma abominação, se revelar sua situação você corre o risco de perder o emprego e você ainda pode apanhar na rua por ser quem você é.
Você acha mesmo que alguém escolheria a segunda opção?
Homossexualidade vem dos primórdios da origem da especie humana, tanto que em toda cladística – até chegarmos nos hominídeos – existem animais homossexuais.
Como eu havia dito no primeiro post do meu canal, isso aqui é minha humilde e singela opinião e é nela que eu vou me basear daqui para frente.
Os relatos mais gritantes de homossexualidade só chegarão com a escrita, muito provavelmente nos povos primitivos deviam haver relações homossexuais, mas eram tão comuns que passavam despercebidas, e mais especificamente na Grécia a.C. onde os pensadores eram considerados os patriarcas, tinham suas famílias e ao mesmo tempo seus casos extra conjugais tanto com homens quanto com mulheres.
Com o aumento de população, mistura de povos e miscigenação as culturas foram se alterando e, após anos da morte de Cristo, quando a Bíblia começou a tomar forma, a sociedade pesou nos homossexuais, não só no oriente médio e India, mas também na Europa do império romano.
Para mim, o termo “sair do armário” só existe porque há muito tempo a sociedade colocou os gays (quero dizer toda a comunidade) lá, por pressão social e tratam eles como anormais e fora do padrão que ela mesma criou. Sempre houveram gays, mas por muito tempo eles não podiam se manifestar.
Após longos séculos de inquisição e Iluminismo, quando os ateus deram as caras novamente na sociedade, uma parcela de homossexuais também abriu as asinhas e saiu do armário. Isso gerou alguns problemas, mas em âmbito mundial, não eram nada comparados ao que viria.
Entre os séculos XVII e XIX não houve alardes de homossexualidade pelo mundo, apenas casos isolados, mas ela voltou com tudo no séc. XX e não porque nasceram mais gays, mas sim porque os enrustidos novamente saíram do armário. Nessa época a igreja evangélica já havia ganhado certa força e foi uma das primeiras – junto com a católica – a “alertar” o mundo sobre a prática homossexual.
Um dos fatores que infelizmente ajudou nessa disseminação ao ódio e homofobia foram os surtos de AIDS do séc. XX, onde foram atreladas todas as condições de um ser humano obter a doença por ser homossexual, o que é uma completa mentira, mas como supracitado, um prato cheio para comentários e superstições homofóbicas.
Então chegou a era da internet e o You Tube. Certo dia um americano, cansado de sua vida nas escuras e de esconder quem é para sua família, decide se abrir para o mundo e cria a primeira Coming out story (saindo do armário – em português) e abre caminho para mais de 300 mil vídeos postados com o tema – incluindo muitos vídeos brasileiros – que consiste em contar aos youtubers sobre sua orientação sexual e como você lida com isso, muitas histórias são tristes e algumas até engraçadas, mas sempre com um propósito de além de ganhar várias curtidas (média de 8000 likes/vídeo) encorajar algum outro homossexual acoado fazer o mesmo e dizer ao mundo “é assim que eu sou, aceite isso”.
Com essa leva de vídeos e publicações, a mídia não poderia fingir que não estava acontecendo nada e daí em diante, começou a tratar a homossexualidade como coisa normal também, o que gerou estranheza em muitos que respeitavam a mídia retrógrada e conservadora, para eles, ser gay virou moda – porquê? esta na mídia, uai!
Ser gay não virou moda, o que virou moda foram os gays se assumirem gays, pararem de ter medo do que realmente são, unidos fazem uma sociedade mais forte na luta contra a LGBTfobia e outros preconceitos. O que virou moda foi o incitamento a homofobia, e isso sim me preocupa.

Xô Preconceito.

Advertisements

3 thoughts on “SER GAY VIROU ‘MODINHA’?

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s