10 FILMES QUE MUDARAM MINHA MANEIRA DE VER CINEMA (E A VIDA)

Cinema é realmente algo mágico, algumas horas dentro de uma sala escura ou na frente da TV fazem de você outra pessoa, na minha concepção, mente quem diz que não mudou sua maneira de agir ou pensar após ver algum filme, todos temos nossos filmes marcantes, comigo não é diferente.
Lembrando que esse é o MEU hall de filmes, todos temos opiniões diversas e o mais importante: Os filmes não estão postados em ordem de importância, todos eu considero muito importantes para mim. Espero que aprovem.
1. DJANGO LIVRE (USA, 2013) – A obra máxima de Quentin Tarantino, mostra uma história surreal, porém que poderia ser muito bem verdade. Um apelo para como a sociedade norte americana sulista e racista era estupidamente cega, misturada com uma bela história de amor e vingança, com um importante toque de conscientização social.
2. MA VIE EN ROSE (BEL 1997) – “Sem Or” que filme é esse?! Uma história confusa e deliciosa ao mesmo tempo, linda para quem assiste de coração aberto, um apelo ao modo de vida das crianças com requintes de problemas de identidade de gênero, onde a situação problema já é dada aos 2 min de filme, mas te prende para saber até onde ela vai.
3. O PEQUENO FUGITIVO (USA, 1953) – Uma mostra dos Estados Unidos pós-Guerra onde um menino decide fugir de casa por acreditar ter matado o irmão, todas as sensações do filme são passadas com um aspecto de tensão, onde nada parece ser o que é e onde se aprende que o mundo não é só aquele parque de diversões ao lado da sua casa.
4. A FILHA DE RYAN (ING, 1970) – Um filme lindo, porém ignorado por muitos, com uma mescla de história de amor e conflitos de uma batalha separatista entre católicos e protestantes, mostrando não só que o amor vence barreiras, mas a hipocrisia de dois povos em se odiar por causa de religião.
5. CLUBE DA LUTA (USA, 1999) – É aquele filme que você tem que tomar fôlego depois que acaba de assistir, uma excelente crítica a sociedade moderna capitalista, mostrando que tudo que pretendemos em excesso é prejudicial. Um fato interessante (não é spoiler) é focar apenas no ator principal e depois analisar suas ações diante aos coadjuvantes, é ele (ou você) que cria as expressões e atos dos outros atores, mas ao mesmo tempo é facilmente extirpável por um desejo de ser igual (ou diferente), filmaço.
6. A HISTÓRIA DA ETERNIDADE (BRA, 2014) – É daqueles que cativam na primeira cena, um exemplo de um filme com roteiro bem estruturado, onde não há um protagonista fixo, existem histórias girando ao redor de uma cidadezinha, onde cada acontecimento reflete na história do outro, onde que, por mais que os tempos e as eras passem, é uma mesmice que só pode ser quebrada com a força de vontade.
7. CLUBE DE COMPRAS DALLAS (USA, 2013) – Coloque um cowboy machista e prepotente para ver esse filme e ele vai achar: ou que tudo é uma bobagem. Ou simplesmente vai sair chorando do filme… Recheado de grandes atuações, conta como o preconceito, a ganância e o repúdio são difíceis de serem quebrados, mas ao mesmo tempo como uma união das minorias pode ser favorável para pressionar o Estado a agir perante uma situação de saúde pública… Maravilhoso!
8. PIXOTE (BRA, 1981) – Não nego que é mal feito, mas sua mensagem não deixou de ser passada. Um filme escondido pela mídia por ser muito intenso, mas que mesmo assim merece um lugar no meu hall por ser aquele tipo de filme que te faz mudar de ideia sobre as crianças marginais desse país. Ele te dá os dois lados da moeda, ambos com um apelo social e no final você é quem decide de qual lado você vai ficar, é daquele tipo de filme que nem precisa de um desfecho, apenas de uma frase marcante, pois “Pixote, eu não sou a maldita da sua mãe!”.
9. RAY (USA, 2004) – Uma biografia fantástica de um dos maiores ícones da música do século passado – pelo menos na minha opinião – um homem que quebrou barreiras de vários preconceitos e subiu na vida apesar de tudo e de todos, mas ao mesmo tempo que não era nenhum anjo, Ray Charles foi um exemplo e sempre será para todos que buscam atingir o sucesso com seu talento, mas também mostra que o mundo da fama te consome e depois te vomita para a sarjeta em questão de dias.
10. O ESCAFÂNDRO E A BORBOLETA (FRA, 2007) – É aquele tipo de filme que não é qualquer um que vê… Lento e deprimente, mas que te faz entender como nossas vidas são vazias e temos que preenche-las com coisas fúteis para sermos felizes enquanto a morte não chega, porém quando perdemos nossa liberdade, começamos a dar mais valor àquilo que antes era só “uma rotina qualquer”.
POIS BEM pessoas, sei que quem leu pode estar se perguntando “e aquele filme tal?” “e o filme não-sei-qual?”… Eu tive que escolher apenas dez, foi assim que eu combinei comigo mesmo e, para ser sincero, esses não são meus dez filmes favoritos, são os dez filmes que mais significaram algo para mim, seja por sua história ou por alguma ação dentro dos filmes que me fez parar para refletir. O mundo do cinema não pode ser definido como apenas os blockbuster e os filmes alternativos, a mistura de ideologias em ambos é o que, para mim, faz de um filme uma obra prima ou um fiasco. Um filme super caro pode ser ao mesmo tempo uma verdadeira referência como um completo desastre… Não é o dinheiro que faz um filme bom e sim a sua história e como ela será contada.

filmes

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s