CORRUPÇÃO

cor.rup.ção
sf (lat corruptione) 1 Ação ou efeito de corromper; decomposição, putrefação.2 Depravação, desmoralização, devassidão. 3 Sedução. 4 Suborno. Var: corrução.

2014 foi um ano atípico em relação à corrupção, principalmente no Brasil, um ano onde o desejo de vingança e justiça se misturaram num emaranhado de outros sentimentos e despertaram o povo brasileiro para lutar por seu país. Seria tudo isso uma completa maravilha se não tivéssemos um agravante silencioso: a mídia.

Eu, atrás de uma tela, sentado numa cadeira confortável usando de um veículo de mídia para falar mal da mesma parece um absurdo, mas é realidade. Um velho ditado diz “quem não ajude, que não atrapalhe” e parece que alguns veículos midiáticos esqueceram um pouquinho de moral em casa quando foram se referir à corrupção brasileira e são responsáveis sim pelo ódio generalizado entre políticos e povo – digo “generalizado”, pois no senso comum é muito fácil se ouvir que “todo político é corrupto” -, o que seria facilmente extirpável se o povo parasse e percebesse que não é o fato de se envolver com política que faz alguém corrupto e sim a própria moral do ser humano o corrompe caso ele não seja capaz de lidar com o trabalho. Simplificando: todo ser humano é ( não corrupto, mas) passível de corrupção.

A corrupção está presente no dia-a-dia da vida do ser humano. Em pagamento de contas, acertos, na rua, em casa, na escola, no trânsito… Qualquer ato a margem da lei efetivado por duas ou mais partes que resulte numa saída “mais fácil” é corrupção. Mas porque então esse grito de guerra a corrupção política? Simples, pimenta no olho dos outros é refresco, pimenta dos outros no seu olho é maldade.

E não estou aqui para defender nenhuma das partes, mas para mostrar a incoerência do lado que na realidade mais sofre. Nós míseros cidadãos que trabalhamos duro todo dia, pagamos nossas contas e impostos, corrompemos e somos corrompidos não estamos sabendo lutar contra a corrupção política, aquela que usa do nosso dinheiro para favorecimento próprio, compra de votos, compra de silêncio, acordo com empreiteiras, acordo com bancos, privatizações relâmpago entre outros casos… Nós estamos deixando, há décadas, isso tudo acontecer. Mas uma coisa está mudando.

Avalio que uma pessoa com idade de 14 a 16 anos, quando seu intelecto político está sendo formado, já consegue assimilar alguns problemas na sociedade e formar caráter de questionador político, é nessa época que, como dizia Aristóteles. deixamos aflorar nosso “ser político”. Nos últimos 14,15 anos percebemos um aumento de vezes que a palavra corrupção aparece nos jornais: Numa pesquisa realizada pela BBC, 64% dos entrevistados dizem que a corrupção aumentou nos últimos anos. E isso não é nem mentira nem verdade.

– Mas como assim? Vemos todos os dias os escândalos que rondam o Brasil! Mensalão, Petrolão… err…

Isso mesmo! (lembra-se que eu disse que uma culpada disso era a mídia?) A mídia vai te mostrar o que ela desejar que você saiba, o resto ela vai acobertar.

– Mas então, por essa analogia, existe ainda mais corrupção do que o mostrado!

Claro, e completo com algo que parece estar esquecido: percebe-se que os dois casos mais citados envolvem o governo de um partido apenas… porque será?

Esse é o momento que eu deixo de ser 100% apartidário e passo a dar minha opinião como defensor da esquerda, porém com ética o suficiente para não defender bandido e nem atacar inocente.

uma pesquisa realizada por mim concluiu que a maioria dos entrevistados conhecem apenas – ou vem a cabeça deles primeiro – os mais falados na mídia, em consequência os mais atuais, em consequência os ligados ao atual governo federal.

não se distancia muito da realidade nacional

não se distancia muito da realidade nacional

Mas também podemos ver alguns menos citados na mídia ou esquecidos pelo povo, até mesmo alguns que se perguntar numa mesa de bar, não saberiam dizer do que se trata. E porque isso? Existem causas e deduções para muitos dos casos não se tornarem escândalos: acobertamento dos políticos, acordos com a mídia, propina (mais corrupção), atropelamento de notícias (surge uma notícia tão grave quanto no momento da investigação) entre outros.

os maiores casos de corrupção no brasil (desatualizado, falta o caso Petrobrás)

os maiores casos de corrupção no brasil (desatualizado, falta o caso Petrobrás)

Qualquer um que for pesquisar mais a fundo os escândalos de corrupção no país, verá que nenhum (repito, NENHUM) partido considerado de expressão está imune, nessa leva estão inclusos PT, DEM, PSDB, PSB e PMDB.

E, muitos dos casos citados na pesquisa, a corrupção não é exclusiva de um único partido, mas claro, ela tem algum partido como mandante da operação ou que foi passível no momento da articulação. Um combate sério a corrupção não deriva apenas de apontar possíveis nomes que estejam envolvidos e sim averiguar como o sistema foi corrompido e a ação aplicada. Essa é uma das razões que – por hora – cegam a maioria da população (posso estar errado) diante ao caso da Petrobrás onde a mídia lançou a denúncia de que Lula e a presidenta Dilma estavam envolvidos no esquema. Um fato esquecido é que o esquema foi articulado entre a diretoria da Petrobrás e as empreiteiras, o único erro real do governo federal – por hora – foi de indicar essa diretoria e de não prestar atenção no rombo absurdo que estava acontecendo aos cofres públicos. E não, isso não é uma tentativa de canonizar o governo federal, mas sim uma saída do senso comum.

O senso comum é que nem a mídia quando se trata de corrupção – talvez porque ele é o peão da mídia dentro do sistema para ludibriar o cidadão – pois na cabeça do povo alienado o que a grande mídia diz é, além de verdade absoluta, incontestável. (Exemplo: “como assim o Lula e a Dilma não estão presos ainda? A Veja disse que eles sabiam de tudo!”)  E esse mesmo senso comum muitas vezes atrapalha o entendimento de quem realmente quer entender o assunto, pois nada é preto no branco como dizem as más línguas.

Outro problema grave do senso comum é a cegueira intelectual de seus mandantes. desde o post sobre a Elite Branca brasileira, digo que o que há de pior no combate à desinformação é outro desinformado, ou melhor, mau informado. Da lista dos líderes da Elite Branca, citei alguns que também fazem parte da lista do senso comum, dessa vez a lista vêm com alguns acréscimos, pois não é só da Elite Branca que eu vou falar agora e sim do povo como um todo:

OS LÍDERES DO SENSO COMUM BRASILEIRO possuem (ou não) posições políticas definidas, mas por hora mancham ou não ajudam em nada sua ideologia no combate a corrupção e outros problemas, pelo simples fato de apenas jogar a notícia sem dar explicação, conclusão ou argumento satisfatório e por consequência, apoiados por inúmeros seguidores, fazem a cabeça de uma boa galera. Falarei de um grupo mais seleto e bem peneirado para não me estender. Esse grupo dos “formadores de senso comum” é composto principalmente por: João Revolta, Cauê Moura, Felipe Neto, Lobão, Danilo Gentili, Kim P.K., PC Siqueira, Nando Moura e Fernando Francischini.

Quem assiste, lê e ouve os comentários dos supracitados sabe muito bem que eles não tem nada a acrescentar do que uma Veja e uma Carta Capital já não fazem melhor. E só estou usando essa dicotomia para você perceber que não interessa o partido, o senso comum sobre corrupção é o mesmo.

Mas como sair do senso comum então? Especificamente não sei dizer, pois estou em processo, mas o primeiro passo é questionar, não só como agem no esquema de corrupção, mas também o porque da reação alienada do povo. Criticar com coerência também faz parte dessa etapa, além de ler a respeito e tirar suas conclusões, pois nessa fase, as conclusões não são certas ou erradas. Claro que se você começar a avançar os estágios terá que se preocupar em achar plena ou maioria na coerência de suas críticas.

Dadas as ideias de senso comum e manipulação, a pessoa que entender isso poderá se tornar alguém muito mais crítico a respeito não só sobre a corrupção, mas também outros assuntos de extrema importância que estão atrelados indispensavelmente ao estudo da situação atual em comparação a antigamente.

Tendo esse intelecto formado ou em formação, é mais fácil seguir adiante com o texto…

Tanto o senso comum e a mídia são prejudiciais para o combate a corrupção que muitos mestres dessa arte já se deram conta disso. O Sistema é falho, mas não é burro e por isso sabe desviar de suas imperfeições para seguir roubando, ele é capaz de burlar meios que nunca pensaríamos apenas para conseguir o que quer. E isso não é teoria da conspiração não, mas não significa que seja verdade absoluta, é – até agora – a resposta mais plausível para mostrar as falhas nos sistemas de combate a corrupção.

E olha que esse combate vem se aprimorando também, claro. Novas diretorias criadas pelo governo federal em conjunto com o judiciário e a Polícia Federal estão investigando muito mais a fundo os casos de corrupção. Uma resposta maravilhosa do governo se não fosse um agravante: o governo federal está investigando, muitas vezes, seu próprio partido (PT) e o senso comum está absorvendo informação deturpada que a mídia está passando.

Uma vez no palanque, Dilma Rousseff, presidenta, disse que “não estão havendo mais casos de corrupção. A corrupção agora não está sendo varrida para debaixo do tapete”. Não vejo porque negar isso – no momento – sendo que é de fácil entendimento a qualquer um que queira ver na internet o ranking dos maiores escândalos de corrupção do país e confirmar que a maioria não foi julgado. (Não foi julgado pois?) Pois a nossa mídia é uma das articuladoras do Sistema e ao mesmo tempo uma das beneficiadas (veja o DARF da Globo). Não só a mídia controla os escândalos de corrupção como também joga para quem está mais afim…

Começa agora o que alguns chamarão de teoria da conspiração petista, mas são apenas os fatos com uma pseudo-conclusão.

… Como exemplo, citarei o último grande escândalo recorrente, o da Petrobrás, cujas barreiras ultrapassam território nacional e até os EUA estão investigando o caso. Liderado pelo superfaturamento de empreiteiras, o escândalo que está na boca do povo pode ser o golpe fatal da economia de capital de risco no Brasil. Não, a empresa não corre risco de falir, pois é gigante, mas corre um risco real e muito pior talvez: ser privatizada. Todos sabem que a Petrobrás é uma estatal de capital aberto, porém quem dá as cartadas é o governo federal, que nomeia os diretores da empresa. Governo esse, da recém reeleita Dilma (PT), numa que foi a talvez eleição mais apertada da história que se tem registro. O pessimismo ronda a economia brasileira e isso é muito grave, pois ele foi implantado por ninguém menos que a própria mídia brasileira com intuito de, na época das eleições, virar o povo contra o governo atual, mas esse pessimismo extrapolou e agora ninguém está conseguindo controlá-lo, lê-se todos os dias em jornais e revistas, nas colunas de cartas do leitor, um discurso pessimista (muitas vezes tolo) em relação ao desenvolvimento econômico brasileiro. Uma coisa que está clara que os economistas que fizeram os alertas não colocaram em sua conta era que em caso de derrota da oposição o país poderia sofrer muito… É o que está acontecendo. Os problemas na Petrobrás podem ser resolvidos entre diretoria e Polícia Federal, mas me parece que a oposição derrotada deseja a ruína moral da empresa, uma esperança de privatizá-la no futuro, talvez?

Ativos ou passivos nos casos de corrupções, todos devem responder na justiça, porém rotular os que não merecem causa um desapego popular pela política, ou pior, um grande apego aos corruptos silenciosos (hoje talvez chamado de oposição) que vêm com o discurso de salvadores da pátria “contra os corruPTos”… Esse tipo de pessoal é o mais perigoso, pois já se viu do que foram capazes em outrora, mas a justiça tardou em aplicar correta punição.

Na política ninguém é santo, por isso confiar em alguém que diz que acabará com a corrupção é assinar atestado de otário. Não se acaba com a corrupção, ela sempre vai existir, o que se pode fazer é puni-la com mais rapidez e assim não permitir que o Sistema se instale como mandante da ação no país. Ao contrário do discurso de alguns “intelectuais” (como se eu fosse algum, pois bem…), eu não acredito que na corrupção se dê para cortar o mau pela raiz, pois a raiz da corrupção é o desejo por acumulo de capital e aliados, a única maneira de “cortar o mau pela raiz” então seria acabar com o sistema capitalista…  mas espere! Quem mesmo são essas pessoas cuja boa parte do povo copia esse discurso?

não interessa o partido, estamos todos na luta contra a corrupção... contra TODAS as corrupções

não interessa o partido, estamos todos na luta contra a corrupção… contra TODAS as corrupções

FONTES:

> http://www.mundoeducacao.com/geografia/o-que-corrupcao.htm

> http://www.contracorrupcao.org/

> http://www.cartacapital.com.br/revista/831/a-petrobras-e-a-opiniao-publica-2033.html

> http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2010/12/101208_corrupcao_transparencia_rp.shtml

> http://www.cartacapital.com.br/revista/812/a-petrobras-alem-da-polemica-4806.html

> http://pt.wikipedia.org/wiki/Corrup%C3%A7%C3%A3o_pol%C3%ADtica

> http://veja.abril.com.br/infograficos/rede-escandalos/rede-escandalos.shtml

> http://www.diariodocentrodomundo.com.br/por-que-se-fala-tanto-da-tv-revolta-fenomeno-da-pregacao-de-odio-seletivo-na-internet/

Advertisements

One thought on “CORRUPÇÃO

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s