VOCÊ VAI ÀS RUAS DIA 15?

Dia 15 de março nada calará ao menos 1 milhão de vozes nas ruas de todo Brasil clamando pela saída da presidenta Dilma Rousseff (PT) do governo federal. Pintarão as caras, levarão cartazes e protestarão, gritarão mais forte que na Copa. A maioria daquela torcida que não se cansava de repetir “Sou brasileiro, com muito orgulho e amor” estará nas ruas com suas bandeiras e faixas pedindo melhorias nesse governo corrupto que eles insistem em dizer que guarda uma revolução comunista no quintal.

a vontade de se manifestar é um direito inalienável do cidadão, mas protestar pedindo democracia numa ditadura ou ditadura numa democracia... Fora Dilma? Vem quem?

a vontade de se manifestar é um direito inalienável do cidadão, mas protestar pedindo democracia numa ditadura ou ditadura numa democracia… Fora Dilma? Vem quem?

A pergunta é: Por quem e pelo quê você realmente luta?

Muitos dirão “pelo fim da corrupção”. Eu lhes respondo “corrupção existirá enquanto existir o sistema capitalista”. Então eles retrucam “então pelo fim do capitalismo! Ah, não… pera”.

Há também uma forte onda reacionária que toma o congresso e a câmara, onde bancadas conservadoras aumentaram seus deputados e senadores e onde o mesmo povo que clama pelo fim dos corruptos coloca pessoas como José Serra no senado. Ou seja, fim da corrupção que não favorece meu partido, né?!

Não venha me dizer que luta pela democracia contra um “Petê comunista”, só na democracia teria direito de pedir isso. Não me venha dizer que “o Brasil vai para as ruas”, pois a maioria do Brasil não aprova o impeachment e o mais importante: não vá às ruas achando que o Aécio vai governar

Dia 15 as maiores ruas das grandes cidades brasileiras estarão tomadas pela Elite Branca cara-pintada que resolveu que é trend flertar com o golpismo. Eles não vão desistir até que a presidenta peça renúncia ou seja retirada de seu posto. E quem entrará no lugar? Um partido que só está esperando a sua chance chegar, o PMDB nunca foi de se manifestar abertamente sobre inúmeros fatos, mas ultimamente precisou colocar sua cara na TV. A turma de Michel Temer se diz “do lado do Brasil”. Afinal, qual o “lado do Brasil”?

Muito se diz sobre a passeata pró-impeachment, mas será ela forte o suficiente para derrubar uma presidenta em pleno séc. XXI? Será que pouco mais de 1 milhão de vozes servirão para acabar com 53 milhões de votos? Onde estão os outros 49 milhões que, por outros meios votaram na oposição (consequentemente, votaram “não” à Dilma)? Estão todos seguindo suas vidas, tentando realmente melhorar seu país, ESTUDANDO para não falar bobagens na internet, para não atribuir culpa de impostos municipais e estaduais ao governo federal, estão lutando de maneira correta para uma verdadeira reforma política, onde o povo participe mais ativamente e o melhor, estão fingindo que nem conhecem essa galera aí “desse tal de impítima”.

O governo Dilma passará por períodos obscuros de uma forte pressão, principalmente midiática. Hoje em dia falar mau do governo já te dá 10000 likes no facebook e, mesmo que você esteja falando merda com merda, as pessoas vão te dar atenção… A onda de golpismo chegou a um nível tão grande que nem mesmo os brasileiros sabem que propósitos ela possui. Tecnicamente só querem ver o circo pegar fogo e depois de estar às cinzas no chão, brincar de reconstruir uma pátria que só precisa ser reformulada e encaixada nos eixos certos. A guinada à esquerda é a saída de Dilma, que terá sua última chance de mostrar finalmente que o PT não perdeu toda sua essência, caso contrário esse ódio anti-esquerdista reinará solto no país da Casa Grande e Senzala.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s