15.03.2015

Para ser sincero, não consigo encontrar um título que já não tenha sido utilizado para descrever o feito que com certeza entrará para a história brasileira. O último dia 15 de março pode ter sido o divisor de águas que acirraria ainda mais a disputa dicotômica entre ideologias político-sociais brasileiras. A Casa Grande reuniu durante anos seus maiores seguidores para então marchar pedindo o fim do samba na Senzala. “Vamos acabar com o samba, madame não gosta que ninguém sambe, vive dizendo que o samba é vexame… Pra quê discutir com madame?”

No último domingo, por volta das 11h já se iniciava em todo Brasil uma aglomeração de ditos “salvadores da pátria” nas ruas das maiores cidades – além de pequenos protestos em menores pontos – brasileiras. Uma pesquisa séria estima que só em São Paulo (lugar onde ocorreu o maior aglomerado) houve quase 300mil pessoas que lotaram a Avenida Paulista cantando seu coro predileto: “Fora Dilma! Fora PT!”

Madames, mordomos, classes média alta, baixa, gente de todos os tipos de proletariado engordaram os números da manifestação que pedia o Impeachment da presidenta Dilma Rousseff, a dita Elite Branca Brasileira (leia aqui) estava fervorosa, muitos com um ódio no olhar e aquela sede de “se livrar dos comunistas” brasileiros e defender a nação.

O Tucanistão lotou-se de mentes descontínuas, desinformadas, odiosas, falaciosas, todas enraizadas num discurso anti-petista decorado com um pouco de amor a pátria. Como abadá oficial para sair na luta contra a corrupção, a camisa da CBF, uma das instituições mais corruptas do Brasil. Coerência pra quê, né? Levavam seus cartazes e pintaram o rosto, relembrando os movimentos de diretas já e da pressão pela saída o ex-presidente Fernando Collor, cantaram o hino à capela, sim, claro, o mesmo povo que encheu os estádios fantasiado de torcida na Copa do Mundo não perderia a chance de se manifestar de novo, vaiando a presidenta usando sua camisa da CBF que custou entre 200 e 500 reais, pouca coisa pra quem tem… mas o preço da gasolina não! como assim não vou poder encher o tanque do meu BMW?! Fora PT! Na verdade, procurei algumas explicações para a revolta absurda, mais precisamente da burguesia que faz parte da Elite Branca e encontrei uma conclusão que julgo plausíve: Protesto só vale quando o problema bate na sua porta, quando o Brasil tinha problemas para tentar erradicar a fome, não se ouvia panelaço, “Fora FHC!”, muito menos protesto. Quando pesou no bolso da Elite que pensa que é elite… bom, estamos vivendo isso agora.

Tivemos em Salvador, por exemplo, uma manifestação muito diferente do normal, uma das cidades “mais negras” do país colocou nas ruas 70% de brancos, esses quais são apenas 20% da população da cidade, porém detém 60% dos capitais entre famílias da região… estranho né?

Mas vamos tentar entender o macro antes de entrarmos em casos específicos… quase 80% dos protestantes eram brancos, quase 60% de classe média e alta, aproximadamente 50% eram os patrões e o resto os empregados de seus respectivos trabalhos, quase 70% possuía escolaridade completa… mais da metade “não sabia ao certo o que estava fazendo lá”, salvo querer o Partido dos Trabalhadores fora do governo federal com o argumento de que o “Impeachment era legítimo”.

A falta de dissonância cognitiva de muitos protestantes me incomoda demais, alguns se mostraram ser uma massa de manobra completamente entregue ao discurso de anti-petismo. Isso ao mesmo tempo comove, é hilária e me enoja. Me enoja o fato de muitos sequer terem estudado a história da construção do nosso país, me enoja o fato deles acharem que quem manda no país é a Dilma e só, me enoja eles acreditarem que não são manipulados por uma mídia magnata que dita o que pode e o que não pode ser aceito como correto no país, me enoja o fato de não ter visto quase nenhuma faixa, cartaz, bandeira pedindo uma reforma política. Nas palavras de Mino Carta, “nos falta um Roosevelt, nos falta um New Deal, nos falta explicar para quem não sabe ou não entendeu que o Brasil é a terra de todos com um governo de poucos […] Entra partido, sai partido e o verdadeiro domínio não altera […] o Sistema não se altera […] Os moradores dos bairros ditos ‘nobres’ querem ir ao seu Terraço Gourmet bater nas panelas que lhes fazem seus guisados […] O Brasil é um país corrupto desde sempre, dominado por um povo corrupto […] nós vivemos num país primário, muito atrasado intelectualmente […] O mesmo esquema que valeu para os tucanos, comandado por Daniel Dantas foi usado por Zé Dirceu, por exemplo… voltamos ao disco rígido! […]” (assista a entrevista completa)

Ainda na minha ignorância não consigo encontrar uma maneira de explicar para o povo, nem mesmo para meus amigos que Impeachment, além de ser uma perda de tempo, não é a solução, porém como combater uma mídia golpista que apoiou a Ditadura Militar como a Globo fez? Como fazer um leitor assíduo que acredita veemente na revista Veja entender? como fazer um pobre que só quer viver minimamente bem (na medida da busca pela felicidade, ou com o bom, bonito e barato) entender? Sozinhos os que buscam sempre melhorar seu intelecto, como eu são pífios, são descartáveis… Uma mobilização de massa, das pessoas que realmente sabem o que é bom para o Brasil devia acontecer, não só pela internet. Esse sim é um movimento #VemPraRua que eu apoio.

Nas cidades, principalmente em São Paulo houve alteração do itinerário dos metrôs, houve catraca livre, houve uma PM pacifista em muitos momentos. Quando o povo sai às ruas pedindo passe livre recebem intervenção militar, quando o povo sai às ruas pedindo intervenção militar, lhes dão passe livre. Que estado é esse? Sinto como se vivesse no estado dos opostos, onde o oprimido brinca de opressor às cegas, achando que é mais gente que a gente por ser a favor do Impeachment… Campinas mesmo, uma das cidades paulistas que melhor elegeu o candidato derrotado Aécio Neves saiu pelas ruas sem saber direito o que queriam, muitos conhecidos foram e eu lhe digo, leitor, menos da metade não conhecia a história desse país. É triste ver amigos cujo você estudou junto se entregarem ao golpismo de uma maneira tão fácil, partilharam do mesmo conhecimento… o quê eu tive que eles não tiveram? (ou vice-versa) Isso para mim é uma reflexão sem fim. E eu não estou falando em ser de direita ou de esquerda… Tenho colegas de direita que entendem que impeachment não leva a lugar nenhum, ao mesmo tempo vejo que estamos lidando com uma nova dicotomia: os pró-impeachment e os anti-impeachment.

Tudo isso nos remete ao famigerado dia 15 de março de 2015, o dia em que os estoques de Budweiser acabaram, onde todos tiraram suas camisas que não usavam desde o 7×1, o dia em que a burguesia e toda a Elite Branca saiu de suas casas, barracos e varandas gourmet para passear pelas avenidas mais famosas de suas cidades, o dia em que vimos uma suástica em meio as inúmeras faixas de “Fora PT”, o dia em que descobrimos que existem pessoas que acreditam veemente que o PT é um partido comunista e deixaram isso bem claro, o dia em que eles lutam por “democracia”… Homens, mulheres e crianças foram às ruas demonstrar insatisfação, machismo, misoginia, tudo isso “pelo bem da nação”…

Ao final do protesto, todos já exaustos voltaram para suas casas, seja em Moema ou no Grajaú e se lembraram que não tinha água… isso só acrescenta fatores na minha tese: Elite Branca FEDE!

10999000_1069042306457430_5234973139445947889_n

*Leia Mais via Facebook, blogs e You Tube:

– algumas reflexões sobre o domingo!

Repercussão internacional

outros pontos de vista

sobre o passe livre

manifestantes de SP (vídeo Carta Capital)

manifestantes (vídeo TV Folha)

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s