UMA RÁPIDA AULA DE BIOLOGIA À LUANA BASTO

ELA ficou famosa há pouco tempo e ganhou espaço repetindo o discurso homofóbico e transfóbico da direita conservadora. Experimentou gravar vídeos sobre política, movimentos sociais e cotidiano, visando sempre passar uma (des)informação rasa e completamente turva sobre os acontecimentos no país. Aproveitando a minha última linha de raciocínio do blog – identidade de gênero -, vou apontar algumas críticas ao vídeo da garota, onde ela deliberadamente utiliza um método falacioso de argumentação muito baixo, digno de um perdedor, de alguém vil: a falácia do deslize escorregadio.

O que consiste nessa falácia? Utilizar um fato A e dizer que esse fato será responsável em gerar um acontecimento B, que gerará um outro acontecimento C e por aí em diante, como se fosse uma grande bola de neve, tudo claro, sem utilizar quaisquer fonte que ligue os fatos. Vamos lá.

Num vídeo publicado pelo canal da mesma, Luana afirma que “ideologia” de gênero – como ela gosta de chamar irá fazer as crianças e adolescentes jogarem o livro de biologia no lixo, visto que não seria mais necessário já que “é tudo escolha do indivíduo e se ele quiser ser menino será, menina será ou até mesmo uma girafa”. Sim, leitor, ela disse girafa. Acha que estou de brincadeira, assista ao vídeo clicando aqui.

Pelo jeito, infelizmente Luana também não lia muitos livros de biologia – preferia perder seu tempo com obras como “O mínimo que você precisa saber para não ser um idiota”, do astrólogo metido a filósofo Olavo de Carvalho, um charlatão que vende cursos de introdução à Filosofia na internet – e nunca percebeu que as definições de macho e fêmea travam num limite.

Macho é o indivíduo da espécie que produz gametas móveis (espermatozoides ou anterozóides), que carregam um par de cromossomos (XY).

Fêmea é o outro individuo, tendo o sexo biológico oposto ao do macho, visto que a mesma  produz gametas estáticos (óvulos) que produzem um par de cromossomos (XX).

A reprodução é um outro fator interessante para se determinar macho e fêmea – biologicamente falando -, onde o macho só consegue copular com fins de gerar novos indivíduos com a fêmea (e vice versa).

Pronto. Isso é macho e fêmea para a biologia.

Agora vamos falar do lado social e do que mais importa dentro do assunto identidade de gênero. “Ser homem” e “Ser mulher” vai além de seus cromossomos terem gerado em você um órgão reprodutor A ou B (ou os dois no caso dos hermafroditas, mas daí a maioria deles não possuem os dois completos ou são estéreis), é aí que vem a formação do gênero social, de como a pessoa se sente e se apresenta para a sociedade. Na maioria dos casos o gênero social bate com o biológico, ou seja, um macho (XY) possui um pênis (órgão genital masculino) e se identifica com o gênero masculino (cisgênero). Mas há casos onde há uma inversão de gênero, exemplo uma fêmea (XX) possui uma vagina (órgão genital feminino), mas se identifica como sendo do gênero masculino (transgênero).

É isso que não está querendo ser aceito, e pior, em alguns lugares – como aqui em Campinas – está querendo ser vetado o debate nas escolas. Existe uma gama de identidades sexuais e todas elas se diferem de orientação sexual (hétero, bi ou homo), não podemos confundir. E não só isso, não podemos nos dar ao luxo de sermos trouxas a ponto de acreditar que o gênero social pode ser multiespécie. GÊNERO É VARIADO, PORÉM APENAS DENTRO DA ESPÉCIE HUMANA, ou seja, masculino e feminino (sendo cis ou trans).

Há alguns casos raríssimos de pessoas que dizem não ter um gênero definido – mas ainda sim sabem que são seres humanos -, o que acendeu de novo as pesquisas para sabermos do que se trata. Muito provavelmente houve uma coerção social nessa pessoa que a levou psicologicamente a não expressar seu gênero, complicado, eu sei.

Dizer que “ideologia” de gênero vai incentivar pessoas a querer ser animais ou ficar trocando de gênero a cada dia (“ah, hoje eu acordei menino, ah, hoje eu acordei menina”) é maucaratismo sim e de uma argumentação chula e baixa, muitas vezes não é só falta de estudo, é pura hipocrisia. São argumentos desse nível que fazem muitos não levar o debate a sério e se vender para uma ideia de que debater identidade de gênero é aliciar alguma coisa nas crianças. Se seu filho/filha for transexual, ele SERÁ transexual, cabe a você família (instituição) aceitar ou não a identidade de gênero dele/dela.

Gênero não se escolhe, porém expressá-lo é uma escolha e coibi-lo é a pior maneira de mascarar a situação. Não conheço muitos transexuais, porém posso lhe dizer, Luana Basto que suas vidas não são nada fáceis, assumidos ou não, essas pessoas têm dificuldades extremas de aceitação na sociedade, no emprego e na família. Simplesmente por serem quem são.

Me perguntaram um dia “Então você acha certo se seu filho quiser ser mulher, Flávio?”. Eu respondi “se ele se identificar como uma mulher, terá meu total apoio e espero que essa sociedade machista, misógena e transfóbica não o oprima tanto”.

É isso que deve ser debatido nas escolas, por isso a tentativa de inserção no PNE e no PME. Como acabar (ou pelo menos reduzir) o machismo? A LGBTFobia? Que instituição melhor para fazer isso senão a escola? Onde os alunos são obrigados a conviver com a diversidade. Em casa, eles podem até receber uma boa educação, mas terão uma hora que lidar com o mundo lá fora, onde ninguém é preto no branco. Uma hora essas crianças terão que enxergar que há um arco-íris de identidades. Negar isso é negar a realidade e a própria biologia.

Não há argumentação contra a identidade de gênero que não carregue um sentimento preconceituoso pessoal, muitas vezes ligado a alguma religião (que, sem prova alguma, determina que tudo é preto no branco).

Não somos máquinas, somos pessoas. A escola pode ser mais do que uma fábrica de futuros trabalhadores, pode ser um local de aprendizado e convivência social, onde exista igualdade de gênero, aceitação e compreensão.

Você é contra isso, leitor?

Você é contra isso, Luana?

Bandeira do Orgulho Trans

Bandeira do Orgulho Trans

*EDIT (12/2015): Confira também o texto “Uma Ode a Ignorância – Sobre Gênero e Orientação Sexual”

Advertisements

58 thoughts on “UMA RÁPIDA AULA DE BIOLOGIA À LUANA BASTO

  1. Que grande bosta esse artigo. Se um idiota desses se travestir de burro, pensar q é burro, andar como burro, e até surrar, ele ainda será um homem, infelizmente para a raça humana.

    Like

  2. Fiquei muito feliz em saber que as pessoas não estão perdidas e sucumbdias em total ignorância, e que ainda existam reais “seres humanos” que ultilizem o senso lógico para pensar, e que principalmente saibam diferenciar social do fisiológico.

    Like

  3. Eu concordo com a LUANA. Discordo do SEU posicionamento e digo porque.

    1º A Luana, por mais que seja satírica, (Em seus vídeos) não mente, não confunde em suas colocaçãoes, ou leva pessoas a imaginarem que são, aquilo que JAMAIS virão a ser…

    2º Segundo, ela posta em sua pagina, os ideais, princípios, e conduta, que ELA acredita ser o caminho. Ela faz, e segue o que acredita, portanto, tem meu apoio. (Quem entra na pagina dela, ou, para pra assistir seus filmes, o fazem porque assim desejam, pois ninguem é obrigado a assistir a um video que ela fez, ou trilhar os mesmos caminhos que ela, ou ter as mesmas linhas de pensamentos, o que difere totalmente daqueles que defendem a ideologia de gêneros.)

    3º Seria total perda de tempo, debater aqui o que de fato é MACHO, e fêmea. (Pois todos sabem o que isso) e a raça humana, É SIM, constituida, e entrelaçada nestes 2 “pilares”.

    E por ultimo, deixo claro que TODOS nós, temos o direito de sermos o que quisermos ser. (Até uma girafa, se for o caso) mas NINGUÉM, tem o direito de impor a mim, que devo achar isso normal, ou aceitável.

    Like

    • Olá, colega, por mais que você ache desnecessário o debate, eu costumo responder a todos os comentários do blog.
      Primeiramente eu não estou cerceando seu direito de discordar das minhas posições, apenas apresentei os fatos, quer queira acreditar ou não. Em segundo lugar, eu desmantelei a tese absurda apresentada pela Luana, mostrando seus equívocos absurdos, tudo em prol de uma moral ultrapassada, utilizando falácias e apelos à maioria, dignos de um debatedor de baixo nível. Em terceiro, gostaria de lembrar que o que eu escrevi não é minha opinião, são os fatos. Existem outros textos no blog a repeito de identidade de gênero e sexualidade, dê uma olhada. Em quarto e último lugar, concordo contigo que todos temos o direito de sermos quem quisermos ser, porém, como explícito no texto, nascemos assim e nos assumirmos é a única e verdadeira “escolha” dentro da nossa vida. Se você nasceu um homem ou mulher trans você será um homem ou mulher trans, se você desenvolver esquizofrenia e acreditar que é uma girafa, sua família se sentirá na obrigação de lhe internar até que volte ao normal. Isso não é incumbir ideologia alguma, somos uma sociedade cética pautada na ciência e não mais na religião, portanto temos que aceitar que essas são as teses científicas e até que alguém as refute com outras teses científicas, fica como sendo a nossa verdade, pois é assim que o mundo do século XXI funciona, colega.
      Leia sem medo meus outros textos sobre o assunto, náo da para linka-los aqui, mas eles são os mais recentes. Eu não quero que pense como eu, só quero que pense. Passar bem!

      Like

    • Wilson

      1…as pessoas são o que são independente do que a Luana acha ou não. Como você disse, o que ela emite é apenas a OPINIÃO dela. Que graças a Deus é aversa à maior parte da populacao.

      2
      “(Quem entra na pagina dela, ou, para pra assistir seus filmes, o fazem porque assim desejam, pois ninguem é obrigado a assistir a um video que ela fez)”
      Pois bem, você veio até aquipor vontade própria.

      “ou trilhar os mesmos caminhos que ela, ou ter as mesmas linhas de pensamentos, o que difere totalmente daqueles que defendem a ideologia de gêneros”

      Além de ser rasa e superficial é de uma intolerância que dá dó. Se você pensa diferente você não passa de um “fdp”. Xingar, é isso que ela faz com quem pensa diferente. Deus me livre trilhar esses caminhos

      E acredito que é exatamente isso que está em discussão. Você, a Luana, o Papa podem ter a opinião que quiserem mas com tanta guerra, corrupção e coisas que realmente estão acabando com o mundo é vocês acham mesmo que tem que perder o tempo de vocês disseminando o ódio contra a estranheza rasa que vocês sentem em um homem se sentir mulher ou vice versa? Me desculpe mas não não existe explicação pra disseminação do ódio. Até mesmo contra vocês direitistas….não quero que você morra rs nem no meu vídeo mãos assistido do YouTube blé

      Like

  4. Achei seu blog (Se assim posso chamar.) interessante. Certamente irei lê mais de seus escritos. Porém, o debate que julgo desnecessário, é o debate onde “é colocado em duvidas”, se sou ou não homem, se aquela lá, é ou não uma MULHER, e no meu caso, mesmo tendo eu nascido com um orgão sexual MASCULINO, mesmo sabendo que uma vez que se nasce HOMEM, (Ou mulher.) seremos ETERNAMENTE, homem, ou MULHER. Para mim, obviamente, não é porque amanhã alguem passe a gostar de fazer sexo com pares, que este alguém vai mudar sua genética, ou seu sexo de nascimento. (Uma “matemática” bem SIMPLES não acha?)

    Um outro detalhe, é que mesmo daqui a 1.000 anos, (Ou mais) na espécie humana, só nascerá MACHO, ou FÊMEA. (O terceiro sexo, biologicamente, não nascerá.)

    Só mais um detalhe que ainda deve ser esclarecido, na questao da “GIRAFA”, a Luana, fez uma ironia, baseada na questao do ENEM, a qual dizia que; “uma MULHER, NÃO NASCE MULHER, mas torna-se”. (Posteriormente, e nesse caso, em uma clara alusão a ideologia de generos.) Você não precisa concordar comigo, assim como eu também não concordo com alguns trechos dos seus escritos. Contudo, sejamos honestos para conoscos, e também para com aqueles que nos ouvem, ou leem nossas ideias.

    Like

    • Olá, Wilson. perdoe-me por ter lido seu comentário apenas agora, ele não apareceu como atualização na minha página e eu o ignorei. Mas vamos lá pontuar algumas coisas importantes:
      – Você julga o debate de gênero desnecessário, porém isso, sociologicamente falando é um aval que se dá para a opressão gerada por uma ignorância (ou por um mau caratismo, que é o que eu acuso Luana de ser) que com alguns estudos e o aproveitamento da lógica são facilmente extirpáveis.
      – “Para mim, obviamente, não é porque amanhã alguem passe a gostar de fazer sexo com pares, que este alguém vai mudar sua genética, ou seu sexo de nascimento. (Uma “matemática” bem SIMPLES não acha?)” Não, não acho. Visto que você confundiu a questão de gênero com a de sexo biológico e a de orientação sexual. Todas essas vão formar sua expressão, porém elas são individuais, você pode ser um homem (XY) cis (genero masculino) hetero (orientação sexual), nenhuma dessas ações você controla, você nasceu assim. Cabe a cada um reconhecer e se expressar do modo que nasceu sem a pressão social que existe em cima de homens e mulheres (machos e fêmeas da espécie humana), nós não temos o direito de coibir isso.
      – você diz que daqui a mil anos dentro da espécie humana só nascerão machos e fêmeas e que o “terceiro sexo” nunca existirá. Pois bem, vamos dividir esse comentário em duas partes: na primeira lhe pergunto qual a base científica-evolutiva que o permite afirmar isso. Na segunda lhe pergunto então como você caracteriza uma pessoa hermafrodita (tudo bem, contando que o hermafroditismo é uma anomalia dentro da raça humana). Entendeu que o que você fez até agora na minha análise foi criar todo um espantalho sobre meu texto, bater nele e dizer que me criticou? Mas tem mais…
      – Sobre a questão dela mencionar uma girafa, eu SEI que foi uma ironia, por mais que as características argumentativas de Luana sejam sempre baseadas em falácias, eu sei identificar uma ironia, mas mesmo assim levei a sério, pois o teor de seu vídeo merecia uma resposta a sério. Eu particularmente acho horrível utilizar de uma inteligência superior em certo assunto para humilhar alguém, porém o que Luana fez com xs trans foi humilhá-los e dizer que eles (e elas) não existem! E ela ainda ri de tudo isso! Outro ponto interessante é que o vídeo dela saiu muito antes da prova do ENEM e ela mesma admite não ter conhecimento algum sobre Simone de Beuvoir antes de cair aquela questão de humanidades na prova, só comparar a data do vídeo original e verá.
      – Por último, gostaria de sim, ressaltar para que sejamos honestos uns com os outros e que “Ideologia de gênero” é na verdade o que a sociedade faz com os meninos e as meninas assim que nascem. Se você não for o machão machista que joga bola e pega menininhas você não é homem de verdade! (o que é ser um homem?) Se você não for uma lady aplicada que sabe cuidar bem da casa e de seu corpo, se depilar e desejar um marido, você não é uma mulher de verdade! (O que é ser uma mulher?)

      Like

  5. caramba, perdi tanto tempo lendo esperando uma aula de biologia e li um monte de blablabla social, ae fala q o menino q escolhe viver como uma menina PASSA a ser menina! claro q não né, só pq a pessoa GOSTA de ter relacionamentos com gente do mesmo sexo e algumas gostam de se parecer com o sexo oposto não quer dizer q ele ou ela serão meninos ou meninas, vão ser APENAS pessoas q gostam de relacionamento com pessoas de mesmo sexo ou gênero! uma pessoa não vira menino ou menina só por parecer com um menino ou menina!

    Like

    • Olá, caro. Fico triste em não ter o feito compreender minhas colocações no texto. Eu sei que é difícil de entender, mas vale o esforço. O básico é fácil: sexo ≠ gênero ≠ sexualidade.
      Depois de ter entendido isso, passamos para os “porquês” de ser como é: influências sociais, determinação biológica, fenótipos, estrutura social na qual a pessoa está inserida, etc.
      Tudo isso influencia no que e como a pessoa vai ser e agir perante a sociedade, caso nasça num ambiente liberal, livre de preconceitos e acolhedor, sua expressão de gênero será máxima, caso contrário a sociedade irá nos impor alguns padrões e normas de convivência que inibem quem realmente somos. Somos machos ou fêmeas da espécie homo sapiens que podem adquirir um gênero masculino ou feminino e também uma sexualidade hétero, bi ou homo 😉
      Viu? Facinho!
      Obrigado por ler. Existem alguns outros textos no blog sobre o assunto, mais detalhados e didáticos, sugiro uma leitura! E lembre-se: preconceito não é bacana!

      Like

  6. Voce poderia me dar uma aula de biologia e me explicar pq o numero crescente de homossexuais jovens vem crescendo cada vez mais??
    Sera msm que tbm nao esta havendo uma heterofobia qto a forma q estao sendo criticado os hetero por ter uma opiniao diferente das dos homossexuais?

    Like

    • Oi, Gabriel. A ideia do titulo “uma aula de biologia…” foi justamente para desmantelar essas teses ridículas sem fundamentação.
      Ora, o número de LGBTs no mundo não aumentou nem diminuiu, essas pessoas agora na verdade estão se assumindo mais e por isso estão aparecendo mais 😉
      Tem um texto antigo aqui no blog que se chama “Ser Gay virou modinha?”. Dê uma lida e irá entender!
      Forte abraço e lembre-se: não existe heterofobia no Brasil 😉

      Like

  7. É engraçado você defender uma coisa que foi obtida por pressão social. Falo dessa comprovação biológica de que homosexualimo etc não é doença. Sabemos que isso foi tirado do DSM por conta da pressão dos ativistas gays e tambem por havem muitos psiquiatras gays ainda em 73 (porque não pegava bem ser psiquiatra com uma doença mental). Mostre-me os estudos em que a OMS se baseou para declarar que homosexualismo não é de fato uma doença. Agora, dizer que só os não seres humanos podem ser transgeneros, diante desse fato, e diate do fato de não haverem transgeneros animais, é uma inversão da biologia. Ensinar nas escolas que existem pessoas que nasceram com pinto e acham que são mulheres (ou vice-versa) e declarar que isso é normal, chega a ser um absurdo. Normal não é. Mas temos que conviver com essas pessoas mantendo o respeito e não agredindo sua dignidade, COMO A QUALQUER OUTRO SER HUMANO. Voces não são especiais ao ponto de querem que qualquer um que exprese opinião contrária ao senso que voces pregam que “genero é escolha” seja declarado como homofóbico. Isso é um absurdo! Tentam retirarem passagens da Biblia que são consideradas por voces como “homofóbicas” é mais um absurdo. Isso é um ataque direto às bases da civilização ocidental, e como tal deveria ser classificado como TERRORRISMO. Isso é claro como o dia. Como é que pode uma minoria querer ditar a maioria (conservadora para que fique claro) o que ela acha que é um direito seu?! Onde ja se viu isso?? Isso tem um cheiro de marxismo que até fede. Estude esses argumentos meu caro, e lembre-se que você pode ser gay sim, mas seguir esse criminoso movimento LGBT é um problema de caráter e não de orientação sexual.

    Like

    • Xará. Você simplesmente distorceu TUDO que eu escrevi :/
      Tudo bem, acontece, a ignorância predomina muitas vezes em quem não possui a mente aberta…
      Primeiramente que a homossexualidade foi retirada da lista de doenças da OMS justamente por que sua origem não é patológica, ou seja, sua origem biológica não implica que ela é prejudicial – afinal, toda patologia, mesmo que leve, é prejudicial -, caso você não tenha percebido, a homossexualidade e a heterossexualidade são orientações sexuais inversas, elas representam o que o ser humano tem como parâmetro de atração física e sentimental pelo mesmo sexo ou sexo oposto.
      Em segundo lugar, você misturou o que eu disse sobre gênero ser feminino e masculino com uma ideia de que só o ser humano pode ser transgênero. NÃO, visto que o ser humano, na escala evolutiva é um novato, esse ideal de transsexualidade vem de milhões de anos, com os peixes e anfíbios que tinham a capacidade física e psicológica de mudar de sexo para se adequar ao ambiente…
      Em terceiro, ensinar sobre gênero nas escolas abrange muito mais do que falar que existem pessoas trans, que isso é normal e que é necessário. Assim como teoriza Simone de Beauvoir “Não se nasce mulher, torna-se…” caiu no ENEM, tá ligado? Então, discutir gênero é discutir a diversidade, é discutir o papel da mulher na sociedade, é discutir o machismo que oprime pra caramba as minas e respinga em todos os outros grupos da sociedade (LGBTs, homens-cis…).
      Quarto, gênero não é escolha, você não leu o texto até o final? Expressá-lo é uma escolha e coibi-lo é a pior maneira de tratar a situação 😉
      Quinto, o Estado é Laico, logo, deve estar de acordo e respeitar todas as religiões e os ateus também. Isso significa que nenhuma decisão do Estado deve ser engajada via um ideal religioso (de qualquer religião que seja), não existe esse “crime” de “Ataque às bases da civilização ocidental”, isso é invenção de quem tem medo de perder seus privilégios. Veja bem, países que já estão discutindo gênero nas escolas são muito mais liberais, são países com IDHs altíssimos e ainda existem exceções lindas, como Israel, que é um Estado não-laico (diferente do Br, que aqui falamos que somos, mas na verdade temos infelizmente uma religião que manda nas leis) no papel e um dos mais liberais a respeito de diversidade sexual, temos muito a aprender com os judeus…
      Sexto, terrorismo são os assassinatos LGBTs e de mulheres no nosso país, um verdadeiro extermínio (aí você dirá: “mas em números absolutos morrem mais homens, mimimimi…” Xará, a partir do momento que UM gay, UMA lésbica, UM bi, UM trans, UMA travesti, UMA mulher são mortos por serem quem são, tem algo de errado aí…) isso sim é “claro como o dia”
      Sétimo, sua visão de democracia é completamente nonsense, visto que isso nem de longe é democracia. democracia é: atender aos desejos da maioria DESDE QUE eles não oprimam nenhuma minoria. Isso significa, se você tem o direito de ser chamado pelo seu nome, um trans também tem (isso não tira seu direito, mas dá ao trans um direito), se você tem o direito de se casar, uma lesbica ou um gay também tem (pois isso não tira o seu direito e ainda dá a eles os mesmos direitos que você possui), se você tem o direito de usar o banheiro referente ao gênero que se identifica, o mesmo deve ser dado a um trans e etc…
      Por último, o movimento LGBT possui inúmeros problemas e divergências, mas ele é imensamente importante para a luta e representatividade da classe, não só o LGBT, mas também o movimento feminista (que também possui problemas graves) e o negro…
      Espero que depois dessa, você pense mais antes de tentar distorcer o que eu disse, passar bem e mais amor nesse coraçãozinho 😉

      Like

  8. Vejo que o seu texto já tem alguns meses de vida, mas fico grata de o tê-lo encontrado quando procurei pela tal Luana Basto ao ouvir falar dela. Ao contrário da maioria dos comentários daqui (redigidos principalmente por pessoas que não parecem ter um mínimo senso crítico ou uma interpretação de texto sequer decente), quero parabenizá-lo. Nesse país ainda guiado pelo conservadorismo, atrelado principalmente a religião, é um ar refrescante encontrar pessoas que fogem dessa “prisão”.

    Acho engraçado como querem até usar Lamarck para contestar o que cientistas, pesquisadores, psicólogos e etc vêm estudando e provando há anos. Acho que a inteligência desses pessoas parou no século 19. “Você vira o que quer ou o que o seu ambiente faz você ser.” É quase risível limitar o ser humano a tão poucas palavras.

    Usando de Simone de Beauvoir, que trouxe grande parte dessa corja a tona com seus pensamentos arcaicos, posso apenas inferir: não se nasce burro, torna-se.

    Like

    • Olá, Malena. Normalmente eu costumo responder a todos que interagem com a página. Muito obrigado pelas palavras e pela consideração, espero que depois do “boom” que esse texto deu, ele não tenha atingido apenas os acéfalos, mas também aqueles que, mesmo discordando dos pontos (aka: discordando da biologia) são coesos nos argumentos.
      Forte abraço!

      Like

  9. Olá Flávio! Vejo que esse texto já tem alguns bons meses aqui na internet e simplesmente, ELE É ESPLÊNDIDO! Em relação à Luana Basto, além de ser uma pessoa extremamente conservadora (lê-se: careta), ela incita discurso de ódio e de opressão (na própria página dela, você vê ela achando lindo oprimir…). Bem, vi os comentários aqui e a grande maioria foi uma lástima infelizmente… Mas falando da ciência como um todo, essa a graça dela e esse texto é uma prova viva disso: você aliou o conhecimento biológico com a questão social, de fato ser homem/ser mulher é uma questão muito mais profunda do que uma definição a partir de um sistema genital ou de um cromossomo sexual, e falo isso porque eu sou biomédico (logo possuo um carga de conhecimento em Biologia) e apoio os movimentos de equidade de gênero e de orientação sexual (feminismo e LGBT), de equidade étnica (movimento negro), etc., porque brinco que sou ser humano (rsrs), mesmo sendo privilegiado em muita coisa nessa nossa sociedade de muitas “Luanas”, afinal sou homem/cis, hétero, branco e cristão (embora não muito praticante… hehe). Só faço um adendo a algumas respostas que você deu para esse pessoal careta: quando Simone de Beauvoir em “O Segundo Sexo” disse que “Ninguém nasce mulher, torna-se mulher”, ela, na verdade se referia que ser mulher é um conjunto de escolhas – influenciada pelo parceiro Sartre, Beauvoir também afirma que primeiro existimos e depois escolhemos/agimos, mas a mulher é ditada por uma sociedade patriarcal, por isso que a filósofa citada questiona esse negócio de natureza feminina associada à delicadeza, submissão, etc. logo em pleno ano de 1949 (ano de publicação de “O Segundo Sexo”), não podemos cobrar tal recorte de opressão (pessoas trans), mas a frase icônica de “Ninguém nasce, torna-se” é super aplicável a essas pessoas transgêneros sim! Mas no mais, ótimo texto (destruidor de paradigmas) e ótimo blog! Abraços!!!

    Like

    • Nossa, Júnior, sem palavras a respeito de sua participação no debate. Obrigado pelos adendos! Infelizmente eu tenho uma lacuna em um aspecto que foi: estudei apenas o superficial sobre Simone e por isso deslizei nesse ponto, mas debate serve para isso, aprender. Fico feliz em ter gostado do post, você é muito bem vindo ao blog! Possuo uma página no Facebook também (50 Shades of nigga) abraços!

      Like

      • Por nada! Mas não foi deslize o que você disse sobre Beauvoir, é que para a época em que foi escrito o livro já citado, Simone não teria “se tocado” das pessoas trans (sim, tais pessoas sempre existiram, mas estão ganhando visibilidade de uns tempos para cá!). Bem, já irei curtir a sua página no Facebook. Abraços!

        Like

      • Obrigado digo eu! Não creio que foi deslize o que você argumentou utilizando da frase icônica da Simone de Beauvoir – em umas das respostas você disse que, pela (i)lógica da nossa sociedade extremamente conservadora (lê-se: careta e preconceituosa) “Se você não for uma lady aplicada que sabe cuidar bem da casa e de seu corpo, se depilar e desejar um marido, você não é uma mulher de verdade! (O que é ser uma mulher?)” – e era justamente nesse ponto que Beauvoir queria chegar (“O que é ser mulher como construção social?”), mas como disse tal frase é super aplicável às pessoas trans sim! 🙂 É que em plena época de publicação da obra “O Segundo Sexo”, digamos que Simone não “se tocou” das pessoas trans e travestis, embora tais pessoas sempre existiram, mas só ganharam visibilidade de uns tempos para cá… Já curti sua página e como era de se esperar, possui um excelente conteúdo! Abraços!!!

        Like

  10. excelente! não tá escrito o quanto eu detesto essa luana! essa menina me irrita demais! mascara os ódios dela, dizendo que a sociedade quer transformar todo mundo em gay, em lésbica, que quer virar as coisas de ponta cabeça, etc. odeio também quando ela começa a inventar situações hipotéticas só pra conseguir fazer um ponto, com histórias que não existem e são deliberadamente exageradas. já denunciei ela aqui e pretendo continuar denunciando. recomendo que façam o mesmo: http://new.safernet.org.br/denuncie. pessoas assim têm de desaparecer do convívio social, ficando reclusas à si mesmas, juntamente com sua loucura.

    Like

    • Tentando suprimir a opinião dos outros sua idiota!? Covarde! E outra coisa, a Luana Basto faz isso para irritar idiotas como você! Caiu feito uma pata! Patinha!

      Like

      • Mas o sr. veio até minha página para ofender minhas leitoras, é isso mesmo? Recolha-se à sua insignificância antes de proferir UMA palavra sequer a quem veio aqui para expor sua indignação com as groselhas que a Luana diz. Essa página (e eu) é sempre aberta ao debate, porém ele deve ser saudável e não lotado de falacias e ataques pessoais. Parece que os cancervas que vêm aqui possuem o mesmo nível intelectual da Luana: 0

        Like

    • (Uma merda é esse teu domínio da língua portuguesa, mas tudo bem) Caro, o que eu mais fiz em toda minha construção argumentativa foi apresentar as verdades factuais para aqueles que crêem nas sandices ditas por Luana em seu vídeo e repetida ao longo desses meses. Sim, caro, são argumentos e muito bem embasados o que se lê em meu texto, pode perceber que ele já tem um tempo e EU SEI que Luana já o leu. Sabe por que ela não disse nada? Primeiro porque não possui culhões, segundo porque não saberia contra-argumentar meu texto sem evocar um palavreado chulo e baixo, como o teu, ou tentar usar a bíblia para “refutar”. Aceite que é melhor para todos e todas, pessoas trans existem, diversidade existe e deve ser respeitada e ensinada para que todxs respeitem todxs, sem exceção 😉

      Like

  11. Acabei de ter o desprazer de saber da existência de mais um (a) “Olavo bolso nandomouriana”. Incrível como brotam nas redes sociais esse tipo de gente. Socorro, quero ser famosa!!! Me escutem!!! Ninguém escuta. Então eles tem a brilhante idéia de meter o pau na esquerda, nos gays (aqui, no caso, não literalmente. rsrsrsrs), ou seja, assistem os intermináveis vídeos dos reaças de plantão, com seus xingamentos e agressividades, e PAHHHH!!! (adoro esse pahhh das redes sociais) está montada a fórmula pros 5 minutos de fama.
    Já dizia Albert Einstein: duas coisas são infinitas, o universo e a imbecilidade humana, sendo que do primeiro ainda tenho dúvidas.
    Ótima aula Flávio. Parabéns.

    Like

  12. Nunca li tanta besteira alienada junta. Quer ser uma mulher, um homem, um et, um macaco, um dinossauro, seja em seu mundo, em sua mente. Não tente vomitar e impor as suas crenças e ideologias em terceiros. As pessoas devem respeitar, mas não são obrigadas a concordar e muito menos achar bonito.
    Agora tudo é fobia, enche o saco esse papinho chulo. É do ser humano ter aversões, da mesma forma como um homofóbico tem fobia a homossexuais, há quem tem fobia a pessoas que não compartilham da mesma opinião e ideologia, como é o seu caso, tentando claramente denegrir a imagem de outra pessoa que pensa diferente. Eu mesmo tenho fobia a vitimistas.
    Se você é homem mas se vê como mulher, uma pessoa não pode ser incriminada por te considerar homem, pois na ideologia desta pessoa (que deve ser respeitada) macho e homem são as mesmas coisas e você estaria comentendo o mesmo “crime” contra ela somente por discordar. Por isso o mundo de cada pessoa deve ser mantido para si e não imposto aos outros.
    E cá entre nós… pra que se importar com o que os outros pensam de nós? Todos somos iguais perante a lei.

    Like

    • Olá, Cy. Eu normalmente costumo responder todos os comentários mais elaborados que aparecem no post (por maior que seja a groselha proferida por quem escreveu).
      Para começarmos, deixe-me explicar uma coisa básica: “ideologia”, como você está tentando pregar a palavra, não é o termo correto quando estamos tratando de ciência. Oras, você não chama a teoria da relatividade de ” ideologia da relatividade “, nem fala “ideologia do heliocentrismo”, muito menos “ideologia de nebulosas” ou “ideologia da evolução das espécies”, bom, você entendeu.
      Ideologia não é uma palavra fácil de se entender, mas sua aplicação deve ser cautelosa, pois hodiernamente “ideologia” passa a imagem de ser algo ruim ou banal. E não é. Vou te dar alguns exemplos do que são ideologias: cristianismo, ateísmo, judaísmo, budismo, capitalismo, comunismo, etc. Essas supracitadas são ideologias. Percebe algo em comum entre elas? Isso mesmo, o sufixo “ismo” está presente.
      O assunto do meu texto não é “ideologia de gênero” pelo fato de isso não ser uma ideologia e sim uma característica do objeto estudado – o ser humano – (exemplo: homossexualidade, transexualidade). O gênero não é algo alheio ao homem, todos estamos submetidos ao gênero, eu, você, o garoto trans que leu esse seu comentário e sentiu aquela pontada no coração…
      Bom, entendido que meu texto está tratando de ciência (tanto biologia como ciências humanas), talvez você compreenda o desserviço que Luana causou com seu vídeo. Bom, na realidade ela é peixe pequeno perto de outros fundamentalistas que já discursaram contra id. de gênero. Para não perder muito tempo reescrevendo o que já está de fácil acesso, sugiro ler o texto do blog chamado “uma ode a ignorância – sobre gênero e orientação sexual”, lá você encontrará mais direitinho toda tese que sustenta meus argumentos e talvez, deixando de lado a LGBTfobia, possa compreender por que é tão importante aprovarmos leis que garantam direito e segurança a pessoas trans.
      Você cita a passagem do art.5 da nossa CF, mas devo lembrar-lhe que no mesmo artigo existe o parágrafo que fala sobre o conceito de isonomia (tratar os iguais com igualdade e os desiguais na medida de suas desigualdades), sempre é bom frisar que somos iguais perante a lei, diferentes socialmente e desiguais socialmente, o princípio da isonomia é o que justamente fará essa desigualdade sumir.
      Por último, gostaria que banisse essa ideia de naturalização da homofobia (e fobias em geral), sim, fobias relacionadas ao diferente do ser humano são construções mentais que podem ou não serem controladas (exemplo, aracnofobia), agora, a “fobia” perante um igual seu não é natural, pois nossos comportamentos não são naturais – dê uma olhada em “fato social”, Émile Durkheim -, você aprendeu a ser LGBTfóbico, criança não tem preconceito, alguém te ensinou a pensar assim.
      Pense nisso. Passar bem

      Like

      • Amigo, você falou, falou, falou, e no fim só tentou fazer da sua “teoria cientifica estudada” como uma verdade absoluta, como se nada e nem ninguém pudesse discordar. Os seus professores e referências fizeram isso com você, e você foi na deles… hoje tenta passar a diante os seus direcionamentos atacando quem discorda. Não existe dono da verdade. E não me venha que estudo científico é algo absoluto, pois ainda hoje dentro da própria ciência existem diversas teorias que se contrapõe a outras. Ou mesmo que fosse absoluto, está no direito das pessoas pensarem diferente. A ciência é algo absoluto, o que não é, é o nosso entendimento dela. Ninguém pode exigir concordância… O importante é manter o respeito às diferenças, só isso. Ao pregar leis ou direitos específicos para homossexuais, você está discriminando homossexuais e héteros. Já existem crimes de ódio definidos. O mais engraçado é que muitos que defendem uma maior tolerância para si mesmos cometem crimes de intolerância contra religiosos por exemplo. Não sou religioso mas respeito pq é do direito de cada um acreditar no que bem entender, desde que não afete a vida de terceiros, é claro.
        Você me pede para banir a idéia de naturalização de fobia, em um post onde você ataca outra pessoa (igual porém diferente) somente porque ela pensa diferente de você.
        Me desculpe, mas está te faltando um pouco de maturidade e coerência, você está agindo exatamente igual a Luana. Antes de julgar os outros seria bom olhar um pouco para nós mesmos.
        Pense nisso. Abraço

        Like

      • Não, colega. Pare de utilizar falácias contra mim. Em momento algum eu ataquei Luana pessoalmente, eu ataquei seu argumento incoerente. Caro, se tu não quer acreditar na ciência, não acredite, mas não impeça que o conhecimento seja disseminado. E se vc acha que isso é a maior groselha, prove com outros argumentos científicos que todas as pesquisas que giram em torno de gênero e sexualidade estão erradas. Como eu disse: eu não estou afirmando nada. A ciência está.
        Acho que a maturidade e a coerência estão LHE faltando e não a mim 😉

        Like

  13. Caro Flávio,
    O seu entendimento pressuposto a estudos científicos não é uma verdade absoluta. Não é a ciência que diz, e sim estudos científicos feitos por humanos e passíveis de erros. Eu não quero que você concorde comigo. Você se acha o intelectual mas não é capaz de fazer o mais básico: respeitar a forma de pensar dos outros antes de exigir respeito pela sua. Pare de querer ridicularizar as pessoas ou suas opiniões. Seu facebook está lotado de posts preconceituosos “senhor maturidade e coerência”. Um dia você abre a cabeça e aprende, espero.
    Abraços

    Like

    • Colega, já disse: discorda? Prove o contrário. Vc tem todo o direito de achar que o homem pode ser uma girafa se ele quiser, ou que não existe essa de gênero ≠ sexo, o que vc não pode é usar suas bases infundadas na ciência (pois a biologia a respeita) para denegrir a vida de pessoas trans e travestis que morrem dia sim dia não no Brasil vítimas de crimes transfobicos. Não pode usar seu achismo para dizer que professores e professoras não possam ensinar ciência em sala de aula, ou que um juiz negue a escolha do nome social de uma pessoa trans.
      Pare de argumentos baixos, ciência não é única e absoluta, mas é ela que rege nossa sociedade e não mais ideologias como na idade média.
      PS: preconceito é uma coisa; opinião que não denigre a imagem de ninguém que não mereça é outra. E é isso que eu fiz com a Luana, ela merece, eu a refutei e ela, desde o lançamento do post ( eu sei que ela leu) não tem culhões para uma réplica.

      Like

      • Flávio, eu já postei 3 comentários, mas mesmo assim parece que você ainda não teve capacidade de entender a mensagem que eu quis passar. Vou reforçar só mais uma última vez…
        Pouco me importa no que você acredita ou não, se é ou não real… não preciso te provar o contrário, primeiro pq eu não estou dizendo que estou absolumente certo, e segundo porque não é do meu interesse que você concorde comigo. Você pode continuar com as suas crenças, ideologias e teorias científicas para você e compartilhá-las entre seus amigos. Não é isso que eu estou discutindo desde o primeiro comment.
        Releia os meus comentários, o que eu estou falando é sobre o respeito a diferentes opiniões e parar de querer impor uma crença sua sobre a dos outros por mais que você tenha 1 tonelada de argumentos como se você fosse o senhor da razão… Os seus argumentos podem ser inválidados por quem quiser. Não é pq alguém discorda de você que deve ser ridicularizado… E não venha falar que não tentou denigrir a imagem dela pq está mais do que claro desde o primeiro parágrafo do seu post. Ninguém aqui é bobo e nasceu ontem… No seu facebook você denigre a imagem de todo mundo que você tem discordâncias… Percebeu? Te falta um pouco de humildade, aprenda a respeitar a visão dos outros para que a sua seja respeitada e deixe de criar conceitos sobre as pessoas antecipadamente. Bom é isso… não vou mais entrar em discussão, pq esse assunto já deu e você não consegue assimilar o que eu estou dizendo. Abraço.

        Like

      • Luana falou groselha, denegriu a imagem dxs trans e travestis, gerou desinformação, atacou os direitos humanos e eu tenho que ter compaixão com ela na hora de refutá-la? Risos eternos, colega. Aliás, tá bem sabido da minha vida, obrigado por entrar na minha página e dar visibilidade… Espalhar a informação hodiernamente está bem complicado, muito mais fácil ligar a câmera e falar asneira… Não é mesmo?

        Like

  14. Cy, seus comentários foram os melhores! Mas é difícil que as pessoas aceitem as ideias libertarias. O Flavio, que não conheço mas acho que é um cara gente fina, uma boa pessoa, fala muito do uso de falacia, mas ele mesmo adora usar este argumentos falaciosos. Ele usou isso contra você Cy, olha o que ele diz só por que você discorda dele, ele assume que você denigre travestis e trans……palavras dele: “o que vc não pode é usar suas bases infundadas na ciência (pois a biologia a respeita) para denegrir a vida de pessoas trans e travestis que morrem dia sim dia não no Brasil vítimas de crimes transfobicos”…..viu, ele te ataca com conclusões tiradas sabe-se lá de onde. Agora, pedir pra ele abrir a cabeça é complicado para quem tem uma cabeça esquerdista e estatista. Quem sabe um dia abre os olhos para o libertarianismo e consegue ver como tudo pode ser muito mais simples! Como vc disse Cy, o importante é respeitar as diferenças, o resto é só debate teórico. Se as pessoas entenderem que a questão é apenas respeitar o próximo, seja lá quem for o próximo, as coisas ficariam mais simples e harmoniosas.Mas neste país cada vez mais as pessoas querem rotular os outros e a si mesmos.

    Like

  15. Na época da faculdade gostava muito do existencialismo, do pós-estruturalismo, entre outras escolas, comecei a ler Marx na raiz tipo “Manuscritos Econômicos Filosóficos”, “Ideologia Alemã”, penando no “O Capital”,rs, nesse último ano, depois dessa onda conservadora, onde mesmo conhecendo apenas o básico do marxismo via erros crassos de conceitos e falácias argumentativas claras, somado a um discurso de ódio e palavrões desrespeitosos terríveis, então pensei “cá com meus botões” (até então vistos como pós-modernos pelos marxistas da minha época), se tanta gente ignorante e acredito até mau-caráter critica o marxismo, ele só pode ser muito legal (dualista demais, rs, mas fiquei curiosa e fui atrás mesmo). Seu pensamento está bem coerente e legal citar o Durkheim, visto que o positivismo deste sempre foi criticado pelos “materialistas históricos dialéticos”, se os leitores do Olavo de Carvalho lessem ao menos uma parte ínfima das ciências humanas, usariam os autores mais adequados para sustentar suas argumentações, mas preferem esse apelo emocional ridículo e raso. Abraços!

    Like

  16. Caro! Que bom que ainda existam comentários e duscussões baseados nas ciências e não no senso comum e ignorância!
    Bem analisado e escrito, nas ciêncuas biológicas e sociais, parabéns, nem tudo está perdido! Já estava imaginando meu mundo sendo guiado por jovens como a Luana, que voltaríamos à Idade das Pedras com Santa Inquição, adornada com campos de concentração, com uma ideologia com alicerces precinceituosos e infundados, misturados ao não entendimento acadêmico!
    Parabéns!

    Like

  17. Estude mais biologia antes de falar sobre biologia, amigo. Macho não é o indivíduo que fornece XY, em alguns animais o macho é até haploide. E , a definição de macho e fêmea trava o quê? Faça a citação que você mesmo abominou nos argumentos da Luana. Veja, essa definição é algo concreto, fácil de aprender, real, se encaixa na maioria das situações reprodutivas e, principalmente, não da margens para relativizações. Para que serve gênero? Não interessa aos outros se por dentro você é uma passista de escola de samba ou como um pedreiro na construção. A imagem que você tem do seu próprio gênero é do seu único e exclusivo interesse, não importa a mais ninguém, então aja como você quer agir e pare de tentar fazer DR com o mundo, pois esse esquerdismo já deu no saco.

    Like

    • Ola, Fred. Normalmente eu estou recusando os comentários mais ofensivos, mas depois de analisar, vi que o seu está mais para intransigente mesmo. Pois bem, escrevi esse texto já faz um tempo e muito foi entendido sobre questões de gênero a partir de então. A definição de macho e fêmea é biológica, porém o que eu transparecia no texto é que a definição de homem e mulher é social e mutável através dos tempos. Não nego que existam fatores biológicos também na transexualidade, até porque o ser humano é um ser biopsicossocial e para entendê-lo é necessário olhar esses três pontos (coisa que a Luana nem se deu ao trabalho de fazer). Porém as questões de gênero não se limitam a transexualidade, tanto as trans quanto as travestis sofrem dentro da sociedade por conta de sua id. de gênero, mas também pessoas não binárias, afeminados ou lésbicas “caminhoneiras”. A expressão de gênero é algo interno de cada um e isso não é respeitado e é tão reprimido que causam transtornos de disforia de gênero em muitas pessoas. Isso precisa parar, as imposições de binarismo (homem ou mulher) na sociedade é um fato social que deve ser extirpado.

      Like

  18. Nossa vida!! Aula de biologia ou de “Aceite a ideologia de genero”? Não seria mais fàcil, dizer realmente o seu intuito com esse artigo? Não precisa atacar a moça,assim vc se rebaixa a “ignorancia” q vc diz q ela possui!!! Quanto mimimi…Seja vc e esqça o resto…ningm tem nada cm sua vida ningm obriga vc a ser do jeito q vc é…Assim como ningm deve aceitar td…as diferenças fazem parte da humanidade. Q mundo chatoo

    Like

    • Realmente, Priscila, o mundo está chato para as pessoas trans desde sempre. Reforçando que “Ideologia de gênero” não existe, foi um termo criado pelos conservadores para denegrir as lutas das pessoas trans e feministas. Em terceiro, eu não me rebaixo à Luana, visto que não me utilizo de suas falácias e preconceitos. Para finalizar, pesquise mais sobre Fato Social, de Émile Durkheim, pois essa de “ninguém obrigada você a ser como é” é um erro comum no senso comum, é preciso entender que vivemos conforme o molde da sociedade e isso precisa estar em constante mudança e evolução, justamente pelas diferenças fazerem parte da sociedade é que precisam ser respeitadas… Diferenças sim, desigualdades não.

      Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s